14 de julho de 2015

Dicas de IELTS (International English Language Testing System) - para processo de imigração e/ou equivalência de diplomas (Canada/Australia)




Texto e dicas para o exame IETLS - Paula Astardjian - que está no processo de imigracao para o Canada.

Sobre o IELTS
by Paula Astardjian

Assim que entendi que o que eu queria na minha vida era imigrar para o Canadá entrei para o grupo de pessoas que tenta magicamente saber por onde começar. Não apenas existem mais de 50 maneiras de imigrar para esse lindo país como existem diversas exigências burocráticas de como fazê-lo e uma das mais importantes é o teste de proficiência do idioma. Caso você decida imigrar para a província de Quebec é necessário que a primeira língua seja a francesa, para as demais províncias a língua primária será o inglês.

Os testes disponíveis para a validação da sua habilidade no idioma inglês são o CELPIP e o IELTS. 



O CELPIP é um exame feito por uma organização de línguas canadense e que tem valor apenas para os que vão imigrar para o país (e é aplicado apenas em território canadense) enquanto que o IELTS é um exame ministrado por Cambridge e validado pelo British Council e que atende todos os processos de imigração dos países ligados à coroa britânica (Nova Zelândia, Austrália, Canadá e países do Reino Unido). Não saberia dizer quais dos dois é mais fácil, no entanto o IELTS por ser mais procurado tem mais informações disponíveis e mais material de apoio na internet.
Assim que efetuei minhas primeiras pesquisas me deparei com o curso preparatório da Cultura Inglesa para o IELTS. Não sou uma pessoa muito disciplinada e como a própria Cultura Inglesa também aplica o teste achei que não podia ser melhor sinal para que tirasse o maior proveito dessa oportunidade. Fiz a inscrição para o curso e o teste no mesmo dia, coincidentemente o curso com duração de dois meses acabava na mesma semana do teste, maravilha!! Foram 2 meses de curso (terças e quintas das 20.20 às 22.00) utilizando o livro base do IELTS para consulta e exercícios e com muitos simulados de Listening e Speaking. Atenção! A Cultura Inglesa apenas aceita alunos com níveis avançado e fluente para este curso porque o intuito não é o de ensinar inglês, mas sim de te treinar para o teste como se fosse um cursinho de vestibular mesmo. O mais bacana é o material online disponibilizado para os alunos para que possam estudar em casa que são específicos para o exame do IELTS. O curso não é barato foram R$1.500,00 em 3 vezes e mais R$500,00 do exame que devem ser pagos no momento da inscrição. Mas honestamente, tem bastante material na internet – alguns simulados no próprio site do British Council, youtube, blogs especializados no exame e algumas comunidades do FB que compartilham informações sobre o teste e alguns exercícios para testar a sua proficiência.

Sobre o IELTS agora: o teste tem 4 partes – Speaking, Listening, Reading e Writing. existem dois tipos de teste o Academic e o General. No meu caso que estou aplicando como Skilled Worker para o Canadá pelo Express Entry prestei o General que é menos específico para as partes de Reading e Writing, isso quer dizer, são textos mais amplos e temas mais abrangentes pois não exige muita habilidade analítica. Para as pessoas que estão pretendendo imigrar a fim de estudo deve ser prestado o Academic que pelo próprio nome já indica a finalidade. O Listening e Speaking de ambos são iguais. As quatro partes podem ser feitas no mesmo dia de acordo com a disponibilidade de horários e interesse do candidato, ou seja, o Speaking é feito pela manhã individual e os demais são feitos a partir das 13.00 (horário de Brasília) em uma sala com os demais candidatos do dia ou pode ser agendado na semana seguinte, eu preferi fazer tudo junto. As salas devem possuir umas 20 pessoas, com bastante espaço entre as carteiras para que não haja possibilidade de cola. Os assentos são marcados em ordem alfabética pelo sobrenome desse modo não há como escolher onde sentar.



SPEAKING – estava bem nervosa para esta parte por não saber qual seria o tema, que pelos simulados que fizemos em aula poderia ser desde análise sobre consumismo até utilização inesperada de um objeto de plástico (!!). Como tendo a ser engraçada podia me dar mal por parecer não levar a sério o teste. A examinadora era uma mulher bem simpática o que me deixou bem relaxada logo na hora em que entrei na sala. Ela começa com algumas perguntas bem básicas como qual meu nome, se eu trabalhava ou apenas estudava, quais eram meus hobbies e o que eu gostava de fazer nos finais de semana. O meu tema foi sobre filme e séries e como os programas de televisão influenciam nas nossas vidas. Para a segunda parte o examinador te dá um cartãozinho com algumas perguntas sobre o mesmo tema e o candidato tem 1 minuto para se preparar (também é fornecido papel e lápis para a preparação). O importante aqui é que o seu speech cubra todas as questões apresentadas no cartão, pode falar em sequencia, pode falar tudo misturado, mas não deixe de responder às questões. Serão 2 minutos para esta parte e o examinador dirá quando o tempo acabou. Na terceira parte o examinador coloca uma questão para que seja debatida ainda no mesmo tema do speaking, no meu caso ela perguntou o que eu achava sobre programas para crianças e como a disponibilidade de equipamentos poderia influenciar a educação delas. Nada muito complicado, mas uma dica que aqui é válida é, se nunca passou pela situação apresentada invente... seja criativo e invente uma situação X que faça com que você possa demonstrar o seu conhecimento do idioma, mesmo porque eles não estão testando a veracidade da sua história mas o quanto de domínio você tem. Não tem problema errar e se desculpar e voltar na mesma frase, aliás os próprios professores indicam que você faça isso, demonstra compreensão sore o que está sendo dito. Tem bastante material no youtube sobre o speaking com as notas de cada exemplo, então não desespere que o maior inimigo nessa parte da prova é o nervosismo.



LISTENING – este teste é o considerado de maior dificuldade pois além de testar o seu entendimento as questões não são tão intuitivas, muitas vezes temos que “transformar” o que foi ouvido para que se encaixe na questão do exame. São 40 questões para 3 a 4 trechos de conversação e nem todas são de múltipla escolha e ainda assim no trecho todas as alternativas são faladas, deve ser selecionada à que responde a pergunta. O trecho é ouvido apenas uma vez porém existem alguns minutos antes do áudio para que as questões possam ser lidas pelo candidato. Uma dica importante aqui é se você não conseguiu ouvir ou não entendeu a resposta vá em frente e siga para a próxima questão porque é muito provável que você perca as demais se não acompanhar o áudio. Além das questões de múltipla escolha tem as de completar a frase e no teste que eu fiz um mapa para apontar as localizações – em um simulado era um barco para identificar as peças. Escreva as respostas no próprio caderno de questões, depois do final do áudio são fornecidos 10 minutos para passar as respostas para a folha de respostas, escreva o mais legível possível.  Não achei o Listening complicado, mas foi o que eu mais treinei porque para ter o CLB 9 a nota do Listening deve ser 8, a maior de todas, e vamos combinar 8 de 9 não é nada fácil, existem vários podcasts para treinar a audição que vale a pena serem ouvidos, ouvi bastante o ESLPod (english as a second language podcast) que é inglês americano mas com certeza existem os britânicos, não me senti penalizada por essa diferença. E estava quase esquecendo!! Atenção no spelling!! Palavras escritas erradas ainda que sejam as corretas são consideradas erradas e para este teste ponto é vírgula e vírgula é ponto (6.500 = 6,500), isso também conta como erro e não se esqueça das maiúsculas em dias da semana e meses. 



READING – O Reading pra mim foi o mais cansativo porque são 3 textos (pequeno, médio e grande) que variam de complexidade entre o texto em si e as questões, ou seja, os texto menor tem as questões mais difíceis de entender enquanto que o texto mais longo tem questões mais simples de serem compreendidas. Aqui de novo não são apenas questões de múltipla escolha, tem as de completar a frase, de fazer a identificação entre letras e números e o mais complicado que é o True, False e Not Given, esse Not Given parece pegadinha mas é bem complicadinho, basicamente é, se não está explícito no texto a informação não foi dada. A dica deste teste é praticar para entender qual a melhor estratégia para cada candidato, as perguntas seguem a sequencia do texto, então se você achar que prefere ler a pergunta e “scannear” o texto pra achar a resposta e já seguir para a seguinte, vá dessa maneira, você efetivamente não lerá o texto. Particularmente não me senti bem lendo perguntas que não sabia sobre o que tratavam, fui no modo mais arcaico mesmo, lia o texto e depois seguia para as questões, é o jeito mais demorado mas é o que me senti mais confortável. Atenção que o tempo é curto!! São 60 minutos para 40 questões, essa é a maior dificuldade do Reading. Terminei com 10 minutos de antecedência, mas eu leio bastante e leio rápido (ainda que em inglês) o importante aqui é treinar para identificar qual o método mais rápido e assertivo. Neste teste não há tempo extra para passar as respostas para o caderno de resposta, meu conselho é passar as respostas conforme terminar as seções, que devem ser a cada 5 ou 10 questões. E aqui vale aquela máxima de vestibular, geralmente a sua primeira resposta é a mais correta, nos dez minutos que me sobraram me esforcei ao máximo para não rever nada para não mudar a resposta na última hora. Deu certo!



WRITING – essa foi a minha pior nota não só porque tenho uma leve dislexia (que percebi fazendo a prova) como já estava extremamente cansada para criar textos com a complexidade e coesão necessária. São dois textos um de 150 palavras e outro de 250 palavras, o segundo conta mais pontos então a sugestão é que se comece pelo segundo texto. Eles contam a quantidade de palavras do texto?? Não necessariamente, apenas quando o texto aparentemente é muito curto, por isso vale a pena exercitar a imaginação um pouco e entender na sua escrita qual o “tamanho” de um texto de 150 e 250 palavras. O texto mais curto pode ser escrito em linguagem informal e no meu caso era um e-mail a ser escrito solicitando um treinamento, nada muito complexo. O segundo era para discursar sobre os impactos do envelhecimento da população na sociedade moderna. Nesse é preciso trabalhar na linguagem escrita, utilizando os tempos verbais mais complexos e demonstrar habilidade em apresentar ideias contrárias, preste atenção na montagem do texto – parágrafo pequeno para introdução, dois parágrafos médios para apresentação do tema e um parágrafo médio para conclusão, não tem como errar. Devo ter perdido pontos pela coesão do texto, acabei divagando um pouco e não tive força de vontade para reescrever, mesmo porque ainda tinha o outro texto a ser feito. Terminei o exame em cima do tempo. Estava absolutamente exausta quando saí da sala de exames, com tontura até.

O resultado do teste sai em 10 dias úteis, mais ou menos 15 dias corridos. O legal de se fazer o teste pela Cultura Inglesa é que eles te mandam e-mail para confirmação do exame (com data e horário) e confirmando a data de liberação da nota e até a disponibilidade do certificado em PDF.

Segue uma cópia do meu exame:
 

E esse é o link de algumas dicas do próprio Bitish Council sobre o teste, todos deveriam dar uma olhada, dicas simples e que fazem toda a diferença na hora H.

A dica máxima é treinar, treinar, treinar, não que a prova vai ser igual ao simulado, mas você vai saber o que fazer e como fazer, e o fator nervosismo não atrapalha tanto porque nada vai ser novidade.

E... por último... GOOD LUCK!!!
 
 

30 de março de 2014

10 Pontos negativos de morar no Canada (atendendo a pedidos):




1- Sua familia e amigos (de antes) não estarão aqui.

2- O idioma, por mais que possa evoluir muito com o tempo, nunca será sua lingua e sempre faltará aquela expressão que conhece no portugues, resumindo... Viverá com o novo idioma e aprendera muito dele, mas não se sentirá nunca tão a vontade quanto falar o seu idioama.

3- O clima é bem diferente (frio, frio, frio, frio, e algumas vezes calor) e tem que tentar se adaptar aos poucos, mas nunca será igual a sua terra.

4- Nao tem futebol (soccer) que preste aqui, só outros esportes que nunca saberemos como jogar/gostar (hockey, football amer., baseball, etc).

5- Não se faz novos amigos daqui, somente se forem brasileiros ou latinos.

6- Sua profissão e experiência profissional não será reconhecida aqui (com raras exceções) e terá que estudar denovo ou fazer anos de reavaliação de seu diploma.

7- A saúde é pública e não têm como escolher os especialistas que vão cuidar da sus saúde, será bem atendido, mas não há tratamento VIP aqui.

8- Não terá mordomias como: frentista, motorista, manobrista, diarista, babá, manicure, pedicure, cabelereira, empacotador, etc, até poderá usar alguns desses serviços mas pagará caro e, em geral não gostará do resultado.

9- Se sentirá melancolico(a) no longo inverno e ficara "entocado" em casa por boa parte dos dias incluindo os finais de semana, sentirá mais sono pela falta de luz do sol (D3 vitamin) e pelos dias muito curtos, ficará mal-humorado e pegará longas gripes.

10- Não têm praia, nem carnaval, nem pagode, nem pizza... Bom têm, mas não vale a pena e não se compara com as do Brasil... Mas há controvérsias!

Há exceções para todos os pontos acima mas a regra é essa e se você não passou ou não considera alguns dos pontos negativos ou se quer adicionar alguns a essa lista, fique a vontade!

20 de outubro de 2013

Apenas mais um dia frio...

  
  Mais um verão acabou, e minhas folhas já começaram a cair. É hora de renovar, encerrar ciclos, começar novos desafios. 

  Não vou hibernar com o inverno, aliás, dele já não tenho medo. Ainda não gosto, devo admitir, mas o inverno me fortifica, ele me deixa mais resistente a cada ano, e com ele aprendi muitas coisas. Aprendi a apreciar e a agradecer a primavera, aprendi que o verão é bom e quente, e acaba logo, aprendi que devemos sempre trocar nossas folhas, como o outono, e principalmente, aprendi com o inverno a reclamar menos e aproveitar mais os momentos, sejam eles em que condição for.
  A vida é assim, feita de momentos, dias, semanas, meses e estações, que passam rápido demais, e é necessário saber aproveitar o lado bom de tudo, e amadurecer com o lado ruim, porque no fundo, até o lado ruim é bom, tudo na vida se resume em experiências, e para nós, só resta aceitar e viver um dia após o outro, seja ele quente, seja ele frio, tenha o sol surgido ou não, tenha a chuva molhado ou o vento despenteado o seu cabelo. Viver é isso, aceitar a sua condição, melhorar a cada dia como pessoa, saber colher e aproveitar os frutos do seu trabalho, mas saber que para colher, você tem que plantar, que nada é de graça, mas que a sorte existe, a gente faz ela existir, dia após dia.

  Então, inverno, pode vir, você não encontrará mais aquela menina deslumbrada com a neve e mal humorada por causa do frio, encontrará alguém muito mais forte, que aprendeu com você a admirar a força da natureza, e se adaptou aos seus caprichos, e aos novos rumos que a vida lhe deu, e mesmo assim, é muito feliz! Sim, pode ter certeza que sou!

(Fotos tiradas em Markham, Cornell Village Parkete)



2 de agosto de 2013

Aniversário Vegetariano

Hi Guys! Long time no see!

http://www.glorioustreats.com
  É, os posts andam parados, eu sei! Mas a resposta é simples: Tá parado por que a vida tomou o seu curso, porque a fase de adaptação, onde tudo é novo e lindo, passou. Posso dizer que depois de 3 anos morando no Canadá, estou completamente acostumada e adaptada, e não me sinto mais inspirada em escrever sobre coisas que agora fazem parte do cotidiano. Mas claro, eu adoro postar por aqui, e gosto de escrever sobre as diferenças culturais, novos pratos e sabores, e tudo de interessante que vejo não só nos Canadenses mas também nos outros imigrantes, e é mais ou menos sobre isso o post de hoje.

   No fim de semana passado, fomos em um aniversário na casa de uma familia da Guiana, e eles são vegetarianos. A comida servida lembrou muito a comida indiana, pois era temperada com curry, só que bem menos forte. 
  O curry é um tempero que ou você ama, ou odeia, eu particularmente adoro, mas confesso que se comesse todo dia eu iria enjoar. Bem, sou uma exceção, a grande maioria dos brasileiros que conheço não gostam de curry, e fogem da comida indiana justamente por isso. Pra quem quer conhecer alguns pratos do sul da Ásia, experimentem o Butter Chicken (frango temperado com um molho de curry e outros ingredientes)  e o Samosa (parece um pastel com recheio de legumes, experimentem o mild, os mais apimentados só se vc sobreviver as primeiras degustações).

http://www.annies-eats.com
  Bem, voltando ao assunto do aniversário, foi servido vários bolinhos de entrada, parecia bolinho de chuva salgado, uns tinham recheio que parecia frango, mas como a familia é vegetariana, eu não faço nem idéia o que era aquele recheio, era bom, mas não causou tanto impacto em mim quanto as rosquinhas de nome "Bara". Perguntei para o pai da aniversariante o que era, ele me explicou como era feito mas eu não conhecia todos os ingredientes, guardei o nome do quitute para pesquisar mais tarde no mestre google a receita. Entre outros ingredientes que não costumo usar, na rosquinha vai farinha de ervilha, ou farinha de lentilha, depende da receita, isso deixa um sabor delicioso e diferente de todas as rosquinhas e bolinhos que já comi na minha vida, e confesso que sou uma grande apreciadora de bolinhos!
  
  Mais tarde veio o jantar, os únicos pratos que conhecia era a lasanha de queijo e o arroz branco, tinha um macarrão com legumes e uns grãos de feijão grande, parecia tremoço, e alguns molhos de curry, um com ervilhas e tofu, e outro com grão de bico, os molhos a gente come com o Roti, que parece um crepe, uma panqueca, e se corta com as mãos e mergulha no molho, adorei o Roti!
  Depois de sobremesa tinha uma mesa com várias frutas, um bolo que parecia bolo de aipim cremoso, e uns quadradinhos de fudge, parece a nossa rapadurinha de leite, uma delicia e muuuito calórico.
  Finalmente veio o bolo, cantaram parabéns, e ninguém sentiu falta de coxinha e brigadeiro na festa (eu porque comi um monte e eles porque não conhecem essas delícias dos aniversários brasileiros).

  Os aniversários canadenses em geral são bem mais saudáveis e menos gostosos que os brasileiros, é muito comum ver mesa de legumes e frutas para a criançada, e elas adoram, nunca vi tanta criança comendo brócolis e pepino e achando bom como aqui. Acho isso maravilhoso, mas confesso que os primeiros aniversários que fui estranhei muito, pois no Brasil aniversário significa farra gastronômica, e aqui não é bem assim, tem bastante comida pra todos, mas aniversário de criança tem que ter coisas saudáveis, além dos cookies, pizzas e sanduíches.

  Como fiquei encantada com o Bara, procurei várias receitas para colocar aqui no Blog e tentar fazer igual, achei até um vídeo bem interessante de uma Guianesa, ela faz o Bara em forma de bolinhos, mas vários sites vejo em forma de rosquinha. Reparem no sotaque Guianês:


  Os ingredientes usados são diferentes dos que costumamos cozinhar no Brasil, mas vale a pena tentar, fica maravilhoso! Traduzi uma outra receita caso vc não entenda a receita do vídeo:

http://www.homemadevegetarianrecipies.com/2011/02/dahi-bara-and-aloo-dum-sweet-and-tangy.html
1 xícara de farinha de ervilha, ou farinha de lentilha
1/2 xícara de farinha de trigo
1 colher de chá de fermento em pó
1 colher de chá de sal
1 cebola pequena picada
1 colher de chá de pimenta picada
1 colher de sopa de cebolinha picada
1 dente de alho picado
1 colher de chá de curry em pó
Água para misturar
1 litro de óleo para fritar

Instruções:
Peneire os ingredientes secos juntos, em seguida, adicione todos os outros ingredientes e misture bem.
Adicionar água suficiente para fazer uma massa dura. Divida a massa em pedaços pequenos, do tamanho de pequenas batatas.
Faça rosquinhas e frite em óleo de soja ou da sua preferência até dourar.
Escorra bem e sirva quente com o molho que preferir.

  Bom apetite e bom final de semana a todos, e se não conseguirem fazer, façam bolinhos de chuva, que também são uma delícia! rsrsrs

18 de março de 2013

Começando uma nova vida


  Calma gente, eu não vou mudar de país de novo, já tenho desafios suficientes por aqui!

  Semana passada fiquei muito feliz em receber um pedido especial de uma amiga, eu deveria escrever uma carta para uma amiga nossa em comum, e essa carta foi entregue na sexta feira, como parte de um fim de semana de treinamento no interior de SP.

  Procurei fazer algo bem pessoal, mas depois, lendo a carta, eu vi que tudo que eu escrevi serve para qualquer pessoa que deseja mudanças na vida, então resolvi publicá-la aqui, pois ela serve pra todos que me perguntam: Como faço para mudar de país? 

  A parte burocrática de como imigrar está sempre mudando, vou fazer um post bem explicativo com todos os vistos e processos que conheço, mas a parte emocional do processo está aí na carta, serve para quem quer mudar de vida, de estado, de país e de planeta. As maiores mudanças na nossa vida sempre são as interiores, às vezes precisa de mudanças externas para influenciá-las, e às vezes não: 


  "...a minha vida sempre foi cheia de mudanças, como todas vcs sabem. As mudanças exteriores sempre influenciaram muito nas minhas mudanças interiores, no meu crescimento como mulher, esposa, mãe, profissional, estudante e todos os papéis possíveis de se viver. Começar do zero é comigo mesmo, e aqui estou eu, aprendendo a “falar” de novo, estudando de novo, e reconstruindo mais uma vez a vida.

  Sempre tive medo, mas sempre quis enfrentar, sempre senti que a vida era muito mais do que eu imaginava, as vezes as oportunidades apareciam e caiam no meu colo, outras vezes a gente fez a oportunidade aparecer, o segredo é sempre enfrentar não só o medo, mas o comodismo e a dúvida. Sabe aquela idéia de: “e se não der certo?” Bem, se não der certo a gente levanta e começa de novo.

  Mas você não precisa mudar de cidade ou de país pra mudar de vida, a principal mudança vem sempre de dentro pra fora, li uma vez nesses recadinhos do facebook algo mais ou menos assim: “Não adianta ir em busca da felicidade, ela mora dentro de você” e é mais ou menos por aí que as coisas funcionam.

  Reformular o interior, e deixar isso se exteriorizar, a gente naturalmente procura novos desafios e sente a vida pequena ao nosso redor. Um conselho que posso te dar é: leve só o que realmente importa na sua nova vida! E daí eu falo do material mesmo, comece reformulando sua casa, seu quarto, doe tudo que vc não usa há mais de 6 meses, pode parecer besteira, mas eu me sinto muito mais leve quando me livro de coisas que estão só ocupando espaço.

  A sensação mais incrível que tive na vida foi no aeroporto, olhar minhas 6 malas jumbo e pensar: Tudo que tenho de material está ali, e eu sou tão leve e feliz!!! A gente pensa que pode voar rsrsrs, é incrível como o apego as coisas materiais nos prejudica, nos deixa pesados. Faça e veja como a gente fica nova em folha, renova as energias, pois vc faz a energia em sua volta circular, e dá lugar a coisas novas entrarem na sua vida.

  Que essa nova amiga que está nascendo seja muito feliz, cheia de metas, de propósitos na vida, e cheia de felicidade. Não esqueça  que a felicidade  é feita de coisas tão simples, que muitas vezes a gente deixa ela passar despercebida.

  Um abraço de todos nós, e ainda estou esperando sua visita pra te mostrar a neve e comer os floquinhos! Te amo amiga, seja sempre muito feliz!"

  Desejo a todos que procuram por mudanças muito sucesso na sua nova vida, que venha na hora certa e como você planejar. Nunca tenha medo de encontrar a sua felicidade, e nunca canse de procurar.


16 de janeiro de 2013

Aprenda a fazer um Poutine


  A culinária Franco-Canadense é muito apreciada no mundo todo. Turistas de vários países chegam a Província de Quèbec para aproveitar a vida noturna de Montreal, a beleza de Quèbec City, esquiar em Mont Tremblant, e claro, se deliciar com o vasto cardápio da culinária local.
  Entre tantas delicias, destacamos uma que se espalhou por todo o Canadá, o Poutine. Essa mistura de batatas fritas com molho gravy e queijo derretido pode ser saboreado em vários restaurantes e até em fast food. Vale a pena conferir porque o prato é tão apreciada por todos, anotem a receita:

Poutine - Foto: sulekha.com

Ingredientes
2 colheres de sopa de manteiga
2 colheres de sopa de farinha
2 xícaras de caldo de carne (pode ser o cubinho dissolvido em água)
sal
Pimenta do reino moída
1 Kg de batatas brancas, descascadas e cortadas
1/2 Kg de coalhada de queijo fresco (pode ser substituido por queijo mussarela, cheddar branco ou Gouda)

Instruções:

Em uma panela, em fogo médio, junte a manteiga e farinha. Mexa até incorporar. Deixe a farinha fritar na manteiga até adquirir um tom escuro. Junte o caldo de carne. Tempere com sal e pimenta, se achar necessário. Levar o líquido a ferver. Reduza o fogo para médio-baixo e continue cozinhando por 15 a 20 minutos. Retire do fogo e mantenha quente. Descasque as batatas e corte em tiras . Leve uma panela com água e sal para ferver. Adicione as batatas e escalde por 4 minutos. Retire, escorra e deixe esfriar completamente. Frite as batatas até ficarem dourados. Retire e escorra em papel toalha. Tempere com sal e pimenta. Para servir, ponha a batata frita no prato, depois o molho sobre as batatas fritas e por último o queijo em pequenos pedaços que derreterão no molho quente. Sirva imediatamente.

  Delicia né? Façam e nos contem como ficou. Ou melhor ainda, venham ao Canadá e apreciem toda a culinária Quebecoise que existe espalhada pelas províncias. 

Bon Appétit!

4 de janeiro de 2013

Viajar é preciso!

   Primeiramente Feliz 2013 a todos os leitores do blog! 
  Passamos o Reveillon aqui em casa mesmo, comemorando pelo Skype o Ano Novo no horário do Brasil, aqui ainda era 21hrs e a gente já estava brindando, foi muito bom pois meus pais e os pais do Alex passaram juntos, então deu pra falar com todo mundo ao mesmo tempo.
  Mas o Natal... Ahhhh o Natal... passamos num lugar maravilhoso chamado Huatulco, no México, banhado pelo Oceano Pacífico.
  Eu estava meio em depressão por causa do frio daqui, e esse ano por falta de tempo e pelos preços absurdos das companhias aéreas praticados no fim do ano, não foi possível ir ao Brasil, mas graças a muita pesquisa na internet e por ter esperado o momento certo de comprar a passagem, conseguimos essa semaninha nesse paraíso.

  Dos sites que pesquisei, indico 3:

Sunwing: Acabamos achando o melhor preço por essa agência. Foi pela Sunwing que viajamos para Cuba também, tem o post aqui, o Hotel que ficamos (Barceló) estava em promoção e criança não pagava.

Bookit: Antes de achar a praia de Huatulco, estavamos olhando promoções para Cancun, e esse site era o mais barato, mas quase todos os destinos tem conexão nos USA e nem todos os horários de vôo oferecidos são interessantes, mas pra quem não liga muito pra isso e tem visto americano, é tranquilo.

Flightcentre: Praticam preços muito parecidos com a Sunwing, dependendo do destino eles tem promoções bem interessantes.

  Pra vocês terem idéia de como foi a procura, estava pesquisando preços umas 2 semanas antes, mas combinamos que só iriamos viajar se achássemos algo barato em algum lugar interessante, se bem que pra mim qualquer lugar que tenha praia é interessante, enfrento até a Praia Grande em SP, ou Cidreira, no RS, com o maior bom humor e felicidade!
  Enfim, um dia antes de viajarmos, o Alex me liga falando de Huatulco, que os colegas do México falaram muito bem de lá e blá blá blá, e tinha que viajar no dia seguinte, 18 de Dezembro, pois no dia 19 já era um preço bem maior, eu aceitei e ele comprou pelo site os últimos 3 acentos no avião, era pra ser nosso mesmo.

  No outro dia lá fomos nós, branquelos e felizes, atualizar o bronzeado e curtir uma semaninha num cantinho maravilhoso do México. 
  Huatulco está localizado no estado de Oaxaca, ficamos na bahia de Tangolunda (significa mulher bonita), a maior das 9 bahias da região. O lugar é tão lindo que nem nos interessamos por passeios oferecidos. Alguns pescadores se oferecem para ser guia turistico e fazer o passeio das 9 Bahias, fechamos por 1200 pesos (uns 100 dolares por familia) um passeio para 7 pessoas e paramos na Praia da Entrega para fazer Snorkel. A volta foi um pouco assustadora, pois o mar estava agitado, e o tamanho das ondas assustou e enjoou também, mas vale muito a pena conhecer as praias, seja pela agência ou com os pescadores locais.

  Agora algumas fotos pra ilustrar o post, falta a foto que eu dirijo o barco, eu jurooo que eu dirigi, mas ficou na câmera de um casal que conhecemos e vou receber por email, o Alex estava ocupado ajudando a Aninha que estava vomitando, realmente ser marinheiro ou pescador não é pra qualquer um, tem que ter muito estômago pra navegar em alto mar.

Snorkel na praia da Entrega, Alex e o Baiacu

Alimentando peixinhos

Toten na Praia da Entrega, e eu de colete infantil rsrs

Alguns resorts na encosta

Um pouco do nosso Hotel

Isla da Tortuga

Vidão...

Minha pequena sereia

Andando de Banana Boat

Peixinhos esperando a comida das crianças,
era só jogar as bolinhas de ração e eles apareciam 

  Algumas curiosidades locais:

  Que Tequila que nada... O legal de comprar em Huatulco é o Mezcal, bebida mais rústica e mais forte que a Tequila. O Mezcal é o verdadeiro Ouro de Oaxaca, destilado de Agave, uma planta da familia das suculentas muito característica no local, parece uma babosa. Preste muita atenção se no fundo da garrafa tem uma larva, ela tem que estar intacta, sinal que a bebida é forte e de qualidade, e conserva a larva sem se esfarelar com o tempo. Se você for o "sortudo" da vez, e a larva caiu no seu copo, seja corajoso e beba ela junto! UI!
Meus Alebrijes

  Preste atenção nos Alebrijes, artesanato local que muitas familias se dedicam a fazer, são animais lúdicos feitos de madeira, pintados com cores vibrantes e contrastantes. Sinceramente, só nos últimos dias prestei mais atenção neles e quando decidi comprar um grande, já estava no aeroporto e desisti pelo preço, trouxe um porco espinho e uma tartaruguinha, mas na próxima vez com certeza o lagarto não me escapa, os artesãos que vendiam perto do hotel estavam com um preço mais camarada e tinham mais exemplares.

  Voltamos no dia 25, passamos a noite de Natal no hotel com um jantar no jardim para todos os hóspedes, como se fossemos uma grande familia, teve show com cantores e dançarinos e acabou com os balões, como no filme da Rapunzel, lembrou a Aninha rsrsrs.

  México, já estamos com saudades!!! Próximos destinos já estão anotados no caderninho: Cancun, Cozumel e Puerto Vallarta. Quando a gente vai não sei, mas sonhar não custa nada né?  


15 de setembro de 2012

Alex, o pensador.

  Essa semana o Alex filosofou bonito no Facebook, o post dele merece destaque aqui no blog:

"Demorei um pouco pra entender as relações de trabalho e vida pessoal aqui no Canada.. 

Aqui no Canada não há amor à empresa e sim a FAMILIA. As pessoas nao dão valor ao emprego e sim a profissao (long-term), nao se importam com cargos e sim com oque fazer no final de semana. O trabalho deve ser rápido, objetivo e com um propósito único de favorecer a união da família. Os 
colegas de trabalho não são amigos, não são confidentes, pois são e serão sempre passageiros, oque importa é oque ficará depois que não tiver mais emprego... Ou seja, a sua vida e quem realmente voce é...

Há exceçoes, mas em geral as pessoas nao gostam muito do trabalho e fazem tudo pra sair do escritório o mais rápido possível, por isso enquanto alí estão, procuram fazer tudo o rapidamente (sem tempo pra almocos longos, conversas de corredor e parada para um café) pois qualquer dessas "distrações" atrasam a sua saída para oque realmente importa: ser pai, ser mae, ser amigo, ser filho, ser humano.

Demorei sim um tempo (até longo) pra isso entender... mas acho que agora tudo está ficando mais claro...

Porque você fica no trabalho até as 20h? Será que a desculpa de se livrar do trânsito ainda cola?
Porque você sempre procura programas em que sua família não faz parte (futebol, happy hour, cervejinha com os amigos, pedaladas noturnas, UFC, academia, etc)?"


Agora, completando com minhas palavras, gostaria de ressaltar que não há mal nenhum em fazer as atividades citadas acima, o mal está em você deixar a familia SEMPRE em segundo plano, e sabemos que isso acontece muito.
  As pessoas aqui também praticam esportes e tem vida social, mas procuram sempre que possível  fazer atividades junto com a familia também, e trabalho nunca vem em primeiro lugar.
  Ninguém vive com medo de perder o emprego, a vida é mais estável, e se forem demitidas, achar outro trabalho não é uma tarefa tão difícil quanto no competitivo mercado Brasileiro (varia muito a demanda dependendo da profissão).
  O costume de ficar horas e horas a mais trabalhando aqui não é visto com bons olhos, se você é um bom profissional, é suposto que você termine seu trabalho no horário e vá pra casa descansar, mas claro, a sobrecarga de trabalho é bem menor, tem muitos empregos em que o funcionário é explorado sim, já ouvi histórias bem pesadas e em diversos setores, mas generalizando bem a situação, a realidade aqui é mais humana.
  Li num blog de uma menina que mora no Quebec, queria muito citar a fonte mas não achei mais a autora, ela conta que uma mulher no elevador reclamou pra ela que achava um absurdo a quantidade de horas que tinham que trabalhar aqui, que o governo explorava os canadenses, e ela falou que estava satisfeita pois nunca chegou em casa depois das 8 da noite como no Brasil, que trabalhava até as 16:30 e estava feliz por ter tempo de estar com a familia.
  As pessoas nunca estão satisfeitas, isso é em qualquer parte do mundo, e eu acho isso muito bom, pois quem está satisfeito costuma se acomodar. É necessário planejar e atingir objetivos, mas nunca confundir insatisfação com ingratidão.  O que é aceitável pra uns, pra outros é um absurdo, tudo depende das experiências vividas e os parâmetros usados para medir uma situação.
  Mas, no nosso caso, estamos felizes, adorando algumas coisas, outras nem tanto, nos ajustando a alguns costumes, e a vida segue, como Deus quiser!


Adriana & Alex

Obs.: Obrigada Tatiana por ter deixado nos comentários o link do post que citei acima: http://projetosupernovaquebec.blogspot.com.br/2012/08/no-trabalho-hoje.html